O que preciso saber sobre a dengue hemorrágica?

A dengue hemorrágica é uma condição que afeta 1 a cada 20 pessoas, sendo mais comum quando ocorre a segunda infecção do vírus. Os sintomas iniciais são comuns à dengue comum, como febre e dor de cabeça intensa.

O que diferencia são sintomas como: dor abdominal, vômitos que podem ser acompanhados de sangue, sangramento das gengivas e nariz, dificuldade de respirar, fezes escuras ou com sangue e confusão mental.

O ideal é procurar ajuda médica o mais rápido possível caso identifique esses sinais para evitar complicações mais severas ou até o óbito, por exemplo, o caso de choque da dengue, que pode resultar em falência múltipla de órgãos.

Durante o suto de dengue, o ideal é tomar os cuidados necessários. Cuide da sua saúde e do próximo!

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Fatores de risco para a dengue

Estamos enfrentando um surto de dengue no país, por isso, precisamos tomar cuidado com a nossa saúde e evitar contrair esta doença.

A dengue é causada por um vírus, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Apesar de poder afetar qualquer pessoa, aqueles com idade avançada ou doenças crônicas (como diabetes e hipertensão) precisam tomar um cuidado extra, já que têm mais chances de desenvolver a doença em níveis graves.

A maior forma de prevenção é evitando acumular água em qualquer local (pneus, vasos de plantas, potes, tampinhas de garrafa e outros). É importante também ficar atento a isso especialmente nos dias de chuva.

Juntos, podemos combater a dengue!

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Como combater a Leucemia?

A leucemia é um tumor que afeta as células brancas do sangue. No geral, os tratamentos para combater esta doença são: quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e até cirurgia.

Outro tratamento eficaz é o transplante de medula óssea, em que o paciente recebe uma medula saudável para substituir a doente.

Lembrando que a leucemia não pode ser evitada, porém, com o acompanhamento médico correto, ela pode ser identificada ainda no início e, assim, há mais chances do tratamento resultar em cura.

Por isso, não se deixe de lado! Cuide da sua saúde e garanta uma vida mais tranquila sempre.

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Como funciona injeção de enoxaparina

A injeção de enoxaparina, como já falamos antes, é o tratamento realizado em pacientes grávidas com trombofilia. O medicamento atua como anticoagulante, prevenindo a formação de trombos (coágulos) nos vasos sanguíneos.

A sua aplicação é feita na região da barriga, alternando os lados aplicados, e deve ser feita durante a gravidez e um tempo após o parto para evitar o desenvolvimento de trombose.

Este procedimento é seguro, simples, rápido e pode ser feito pela própria paciente ou, se preferir, por algum acompanhante.

Você já fez o tratamento com enoxaparina? Conta para mim!

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

O que é a doença de von Willebrand?

A doença de von Willebrand é um distúrbio que afeta as plaquetas, causando sangramentos excessivos mesmo em pequenos cortes, hematomas, fluxo intenso durante a menstruação e até episódios hemorrágicos.

Para diagnosticar a doença, é necessário realizar exames laboratoriais e de sangue. Assim que diagnosticado, o tratamento pode ser realizado através de medicamentos ou infusão de fatores da coagulação.

Infelizmente, este é um distúrbio sem cura. Porém, seguindo o tratamento corretamente, o paciente consegue ter uma vida tranquila e saudável, controlando os sintomas.

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Por que a gestante trombofílica precisa continuar com o tratamento no pós-parto?

O tratamento para trombofilia na gestação não se encerra com o parto. Na realidade, a paciente pode continuar com as aplicações de enoxaparina durante algumas semanas ainda.

Após o parto, devido a alterações hormonais e alto índice inflamatório, a paciente pode ter problemas de trombose. Por conta da trombofilia, o quadro pode piorar, resultando em episódios de trombose ou hemorragia.

Este tratamento pode acontecer por até dois meses e deve ser acompanhado sempre. Além dele, o médico pode indicar algumas práticas para evitar o risco de desenvolver problemas no puerpério.

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Por que o tratamento de trombofilia na gestação só pode ser por injeção?

O tratamento de trombofilia na gestação é realizado através de aplicações de injeções de enoxaparina, mas será que só serve injeção?

A injeção é o único tratamento anticoagulante que não passa para o bebê. Os outros anticoagulantes por comprimidos passam a barreira placentária, chegando até o bebê.

Ou seja, a injeção é a forma mais segura de tratamento para a mãe e que não interfere na saúde do bebê em desenvolvimento.

Você já sabia disso?

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Meta para o Ano: Doar Sangue e Salvar Vidas

Cada doação é uma oportunidade de fornecer esperança, vitalidade e amor a quem precisa. É incrível pensar que uma pequena ação pode ter um impacto tão significativo.

? Junte-se à Causa: Encontrar um banco de sangue local, agendar uma doação e se tornar parte deste movimento solidário é mais fácil do que parece.

? Compromisso Regular: Não vou apenas doar uma vez, mas estabelecer um compromisso regular. A necessidade de sangue é constante, e cada doação conta. Vamos manter esse hábito ao longo do ano!

? Motivação Pessoal: Essa meta não é apenas sobre doar sangue; é sobre cultivar uma responsabilidade social, o cuidado com o próximo e a construção de uma comunidade mais forte.

? Gratidão aos Doadores: Expressar uma profunda gratidão a todos que já doaram sangue. Se você já fez isso, compartilhe suas experiências nos comentários para inspirar mais pessoas a se juntarem a essa jornada

? Marque a Data: Vamos tornar isso uma jornada coletiva e, juntos, alcançaremos grandes feitos!

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Doar sangue causa anemia?

A doação de sangue não oferece nenhum risco à saúde do doador e também não causa anemia!

Porém, pacientes anêmicos, principalmente aqueles ferroprivos (causados pela deficiência de ferro), só podem doar com liberação médica e caso os exames estejam normais.

Isso porque o sangramento resulta na perda de ferro, podendo piorar o quadro de anemia da pessoa.

Por isso, se você deseja doar sangue, fale primeiro com o seu médico! Afinal, precisamos ajudar o outro, mas também precisamos cuidar da nossa saúde.

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

Todos os tipos de anemias são iguais?

Apesar de ter sintomas parecidos, os tipos de anemia não são iguais. Existem várias causas diferentes para esses distúrbios, além de afetarem de formas diferentes os componentes sanguíneos.

Por exemplo, existem as anemias por deficiência de ferro, vitamina B12, causadas pela baixa ingestão dessa vitamina e mineral. Também há a anemia falciforme, de causa hereditária, que altera o formato das hemácias.

Também existem anemias que afetam a produção de diversos componentes sanguíneos, de causa autoimune, entre outros.

Por isso, para realizar o tratamento, primeiro é necessário identificar a causa correta deste problema.

 

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627