Como o tratamento da SAF é feito?

Como já vimos aqui, a Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo (SAF) é clinicamente definida quando o paciente relata casos de tromboses frequentes (venosas ou arteriais), e/ou abortos consecutivos. Além disso, o médico analisa se nos exames laboratoriais constam a presença de anticorpos antifosfolipídeos (aPL) como: anticardiolipina (aCL), anti-beta2 glicoproteína1 (B2GP1), e o Lúpus Anticoagulante (LAC). Alguns episódios associados com os aPL servem como marcadores para a síndrome, são eles:

• Anticorpos Anti-Beta-2-Glicoproteína 1
• Anticoagulante lúpico
• Anticorpos anticardiolipina

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

RQE 30670

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *