Síndrome Antifosfolípide como diagnosticar e tratar?

O diagnóstico da SAF é clínico e laboratorial, seus sintomas mais comuns são as tromboses e perdas gestacionais. As tromboses venosas são mais frequentes e podem atingir qualquer leito vascular, sendo arterial ou venoso). As perdas gestacionais acontecem no final da gestação sendo pela morbidade gestacional, pré-eclâmpsia, eclâmpsia e síndrome HELLP.

É possível classificar o risco do paciente com SAF para eventos trombóticos e gestacionais de acordo com o perfil de anticorpos e características clínicas. A definição de alto risco varia, mas existe a tripla positividade que é o principal fator de risco laboratorial.

O tratamento da SAF para pacientes que possuem apenas resultados positivos, sem manifestações clínicas, devem ser orientados quanto ao controle de fatores de risco para trombose.

É recomendado que pacientes evitem o sedentarismo e vale ressaltar que mulheres com aPL positivo devem evitar ao máximo o uso de anticoncepcionais combinados ou terapia de reposição hormonal.

Tem alguma dúvida sobre a Síndrome Antifosfolípide? Comente aqui!

Dra. Regina Biasoli

Hematologista e Clínica Geral

CRM 75627

RQE 30670

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *